O que vou fazer agora - Amor e Saudade

O que vou fazer agora

Escrito por Adriano Villa | 4137
O que vou fazer agora

Eu queria te perguntar neste momento o que deveria fazer agora... Eu sinceramente não sei... Acho que perdi o rumo depois que você me disse que era melhor seguirmos caminhos diferentes... Como se fosse algo fácil... Simplesmente seguir adiante esquecendo tudo que existiu de importante entre nós... Você consegue fazer isso? Será que, como último pedido, poderia me ensinar como posso fazer também?

Ainda vejo seus olhos estampados na escuridão de minha mente, isso mesmo, não escuridão, pois em todos os momentos, tento fechar os olhos para minhas lembranças, contudo, te vejo lá, brilhando como um sol que nasce até mesmo ao anoitecer... Eu sinceramente achei que você fosse algo bom em minha vida, mas agora... Estou tendo minhas duvidas...

Se ao menos você me contasse a verdade... Se ao menos me desse uma razão verdadeiramente lógica para suas atitudes, com certeza tentaria entender e, com certeza, faria minha parte, por mais difícil que fosse, mas, neste momento não posso lidar com esta realidade, pois ela foge da lógica e das verdadeiras razões que motivaram esta distância...

Sabe, vou lhe dizer sinceramente, se você não quer olhar em meus olhos e dizer o que verdadeiramente passa, por que não liga e me conta, pode ser até mesmo uma carta ou um email, seja lá o que for, eu preciso continuar minha vida, mas não sei se conseguirei sem dar um ponto final ao nosso assunto, com certeza, queria deixar reticências, mas, devo respeitar sua vontade, independente da minha opinião, mas da mesma forma que lhe respeito, tente respeitar-me também e, diga-me, por que preferiu deixar tudo que construímos até este momento para trás? O que lhe fiz ou o que deixei de fazer que lhe fez preferir esta distância? Seja franca como sempre fui contigo, eu preciso saber da verdade, mesmo que seja o fato de não me amar mais, mas preciso saber.

Não sei o que se passa em sua cabeça, infelizmente... Quem dera soubesse, assim eu poderia tomar a atitude correta para ambos, mas, como nada depende apenas de um, deixo em suas mãos o bom senso de, pelo menos, me revelar o que sua mente oculta e os segredos contidos neste coração que, um dia, pensei que habitava.

Seja franca.

Comentários