À Procura de um Amor - Amor e Saudade

À Procura de um Amor

Escrito por Desconhecido | 5855
À Procura de um Amor

Você está aí sozinho, devora um saco de batatinha frita enquanto espera o telefone tocar.
Bem que poderia ser hoje, um amor novinho em folha!

Trrrimmmmmm!!!!!

É a sua mãe, quem mais poderia ser?
Amor nenhum faz chamadas por telepatia. Amor não atende com hora marcada. Ele pode chegar antes e encontrar você numa fase galinha, nem aí para relacionamentos. Pode chegar tarde demais e ver você desiludido com a vida, desconfiado.

Por que ele nunca chega na hora certa?
Agora, por exemplo, você está de banho tomado, empregado e com dinheiro para ir ao cinema! Agora que você pintou o apartamento, organizou o seu quarto. E justo agora está com o coração às moscas e morrendo de frio.

O amor aparece quando se menos imagina. Você passa a festa inteira hipnotizado alguém que nem lhe enxerga e mal repara no outro alguém que só tem olhos para você.
O amor é que nem tesourinha de unhas. Nunca está onde a gente pensa.
O amor pode estar num corredor de supermercado, numa fila de banco, ou numa livraria, ao seu lado, num carro parado ali no trânsito.
O amor está em todos os lugares. Você é que não procura direito.

Então,

A primeira lição está dada: o amor é onipresente.
A segunda é mais imprevisível: não espere ouvir eu te amo num jantar a luz de velas.
Amor não gosta de clichês.
É bem possível que aquele "eu te amo" aconteça numa terça-feira, à tarde, depois de uma discussão.
Idealizar é sofrer.
Amar é surpreender!

Comentários