Novela - Marina! Capitulo 8 - Amor e Saudade

Novela - Marina! Capitulo 8

Escrito por Diana Polizzo | 1156
Novela - Marina! Capitulo 8


CAPÍTULO 8

Fui acordado às onze horas da manhã pelos meus dois sobrinhos, um de seis, outro de nove anos. Geralmente, quando chegavam ao meu quarto, faziam uma barulhada tremenda. Abriam o guarda-roupa, as gavetas, e, quando não conseguiam encontrar o que queriam – o vídeo game, faziam questão de me acordar, seja qual horário fosse.
Desde que saí do colegial, tenho tentado arrumar emprego, mas está difícil. Minha irmã se propôs a pagar um curso de mecânica, que acontecia três vezes por semana, à noite. Apesar de faltar algumas aulas (os colegas sempre me param no caminho para bebermos uma gelada...), tenho gostado do curso. A parte ruim é prestar contas ao meu pai, que não se cansa de fazer perguntas a respeito: Quando eu me formo, quando começo o estágio, se o curso me encaminharia ao mercado de trabalho, e por aí vai. Essa cobrança me deixava irritado.
Minha rotina não era tão digna quanto à de outros colegas. As cinco, seis horas da manhã alguns já estavam saindo de casa para faculdade, ou para o trabalho, e só voltavam às seis ou sete horas da noite. Eu sempre levantava tarde, e não fazia absolutamente nada o dia inteiro, até dar a hora do curso. No inicio, não fazer nada me deixava aliviado. Depois de um certo tempo, o ócio começou a incomodar. A família sempre cobra.
Os dois pestes foram para cozinha, quando minha mãe lhes disse que tinha coisa boa pra sobremesa. Deixaram a porta aberta então, tive que me levantar da cama para fechar a porta. O celular estava largado sobre a minha cama e, quase inconscientemente, verifiquei o seu display. Havia uma notificação do Facebook. Alguém havia me adicionado.

Comentários