Longe de casa longe dos pais! Capitulo 31 Epílogo - Amor e Saudade

Longe de casa longe dos pais! Capitulo 31 Epílogo

Escrito por Diana Polizzo | 947
Longe de casa longe dos pais! Capitulo 31 Epílogo


O telefone tocou no momento em que eu cheguei. Depois de conversarmos, desliguei o telefone e fui direto para a casa de Júnior. Disse que ele era um grande amigo, mas que, não gostava dele da forma que ele gostava de mim. Mesmo que meus pais não conseguissem me aceitar, eu viveria sem a ajuda deles. Quando me expulsaram de casa, eu lhes disse que voltaria a ser uma pessoa normal. Mas não voltei: Não consigo controlar o que eu sinto.
Passei a noite inteira sem dormir. No dia seguinte, acordei cedo, coloquei qualquer roupa e saí. Peguei um taxi, na porta do edifício, e segui rumo ao aeroporto. Um engarrafamento intenso na linha vermelha. E ela me ligava a toda hora! “Você está chegando? Já estou a sua espera!”
O taxi chegou, e eu dei algumas notas ao motorista. Nem sei quanto eu lhe dei... Acho que foi mais até do que a própria corrida...! Corri, pelo saguão, à sua procura. Havia muitas pessoas: Homens, mulheres, trabalhadores, famílias. “Cadê você, porra!?” – Gritei. Parei, no meio do saguão, atenta a cada pessoa ao meu redor. Até que perdi minha visão. Duas mãos cobriram fortemente os meus olhos.
Ouvi uma risada gostosa bem próxima de meu ouvido. Seus cabelos caiam sobre os meus ombros. Tentei retirar suas mãos de meus olhos, mas ela estava disposta a brincar comigo. “- Eu já sei que é você, Clara! Não adianta me enganar”. Ela desvendou os meus olhos, e eu virei para trás. Clara, baixinha, linda, sorria para mim como uma obra de arte. Tomei-a em meus braços, até que seus lábios tocaram os meus.
- Não tem vergonha de me beijar em público? – perguntei.
- Público? Que público? Já saímos de nossas personagens! Lembra?

Comentários