Longe de casa longe dos pais! Capitulo 17 - Amor e Saudade

Longe de casa longe dos pais! Capitulo 17

Escrito por Diana Polizzo | 798
Longe de casa longe dos pais! Capitulo 17


Depois da discussão, a relação entre eu e Alê ficou completamente estremecida. Ela não falava comigo, e eu, não lhe dirigia à palavra. Passava maior parte do tempo fora de casa. E, nas vezes que estava presente, dormia na sala. Eu ficava em seu quarto, mas dormia no chão.
Junior nunca mais apareceu no apartamento. Não sabia o que estava rolando entre os dois. Os dias foram se passando, estranhamente, e eu me sentia em um ambiente hostil. Pensei em voltar para casa.
As seleções para o curso de teatro ocorreriam dali a alguns meses. Passei então, a visitar algumas bibliotecas, a fim de buscar inspirações para a criação de um texto dramático. Acordava cedo, passava a manhã inteira fora de casa, e voltava para almoçar. Passava também em algumas agências de emprego próximas do bairro. Para economizar dinheiro, algumas vezes, percorria longas distâncias à pé. Sem dinheiro, não podia sequer comprar roupas novas. Meu tênis estava começando a rasgar.
Em um final de tarde, quando Alê já tinha saído para a faculdade, meu celular tocou. Do outro lado da linha, uma voz feminina, pedindo para falar comigo:
- Boa tarde... Gostaria de falar com Maria Clara?
- Sou eu! Quem deseja? – perguntei curiosa.
- Meu nome é Bruna, sou da AVX Recursos Humanos... Gostaria de marcar uma entrevista para amanhã, para o cargo de auxiliar de escritório...
Minhas pernas estremeceram. Depois de tanto tempo enviando currículos, eis que uma agência resolveu me convocar! Respondi, quase que em um grito:
- Sim, claro!
- Amanhã, às 9h, na Av. Rio Branco, número 40, 25º andar... Leve seu currículo e uma caneta!
- Sim, claro... Tudo bem (...)
- Até amanhã!
A mulher desligou o telefone. A primeira preocupação que me veio à mente foi à roupa que vestiria para ir à entrevista. Corri para o quarto, abri o guarda-roupa, mas senti uma imensa frustração. Não havia sequer uma roupa decente para ir à entrevista. Minhas blusas sociais estavam muito batidas; os vestidos não se aplicavam a ocasião. Então, lembrei-me de uma blusinha branca e havia esquecido no fundo da mala. Mentalmente, montei o look para o grande dia.
Durante a noite, pintei as unhas e escovei os cabelos. Separei minha roupa – a blusinha branca e uma velha calça jeans, e resolvi dormir cedo.

Comentários