Buscando um amor sincero - Amor e Saudade

Buscando um amor sincero

Escrito por Adriano Villa | 1992
Buscando um amor sincero

Meus pensamentos já não me pertencem, não consigo controla-los e muito menos prestar atenção em alguma coisa. Você se tornou um fantasma aterrorizando-me em pleno dia, é estranho, mas, basta olhar para o lado e ver sua silhueta estampada em qualquer superfície, não sei bem como chamar isso, mas sinto que estou quase enlouquecendo.

Também tenho desenvolvido manias compulsivas. Tenho olhado meu celular a todo tempo e, como se não bastasse as mensagens do visor informando: nenhuma ligação perdida e nenhuma mensagem recebida, ainda vou até os devidos lugares para ver se realmente não apertei nada sem perceber. Mas, não para por aí, já liguei para meu próprio celular para ver se estava realmente recebendo ligações.

Caixa de e-mail? Msn? Facebook? Entro e saio todo tempo com o coração praticamente na garganta, fico esperando impacientemente algum sinal de vida, algo que me mostre que esteve pensando em mim, que sente minha falta de alguma forma. Já perdi as contas de quantas vezes pedi para amigos entrarem ou postarem algo, só para certificar-me de que tudo esta realmente funcionando bem, para quando você finalmente aparecer.

Mais uma vez pego no celular, não há mensagens, não há ligações, apenas desejo de um sinal, uma luz no final do túnel capaz de me guiar até o portão de sua casa, onde me contentarei em olhar nas profundezas de seus olhos, onde verei seus lábios se mexendo lentamente enquanto pronuncia palavras tão doces capazes de me deixar em órbita.

Eu sei o que esta acontecendo, pior que sei, mas, não sei quando tudo simplesmente aconteceu... Tudo parecia uma simples conversa sem qualquer perspectiva, nada mais do que dois amigos conversando a respeito de uma série de afinidade e, inesperadamente: bum! Simplesmente acontece.

Os lábios se umedecem, o coração começa a bater descompassadamente, você não sabe onde enfiar as mãos para deixar de esfrega-las, começa a planejar frases inteligentes, assuntos importantes, até mesmo passa a assistir novelas para chamar atenção, para mostrar que deseja compartilhar aquele universo único.

Você perde tudo, quer dizer, quase tudo, ao menos o apetite, o controle dos pensamentos... Você se vê como uma lua, um satélite natural em órbita de um astro maior e, tudo que deseja é ser como o sol para aquecê-la e fazer-se presente... E todas suas piadas se tornam as mais engraçadas, até mesmo as que não possuem nenhuma graça.

E, inesperadamente, você se pega em casa ouvindo uma canção de amor, sussurrando para si próprio o nome da razão daquela loucura e, por incrível que pareça, tal nome parece se moldar perfeitamente as belas harmonias que embalam seus ouvidos e, subitamente, você percebe sua perfeição e é neste momento que você tem a certeza de que tudo que sente, é apenas, sintomas do amor, exatamente o que sinto por você agora.

Comentários